Analista de frota: Principais funções e diferenciais para se destacar no mercado

| Por: Marina Pessanha

O analista de frota deve ter conhecimento técnico para demandas operacionais e uma visão estratégica. A função do analista está relacionada ao auxílio do gestor da empresa e vai desde o controle de rotas até a produção de relatórios, sendo que todas as atribuições são baseadas na análise de dados sobre os processos logísticos da gestão de frota.

Neste artigo, você vai conhecer o que faz um analista de frota, suas principais funções, competências, vantagens em ter um analista e como a tecnologia pode auxiliar o trabalho desse profissional. 

O que é um analista de frota?

O analista de frotas é o profissional responsável pelo acompanhamento dos dados ligados às atividades da frota, seja ela terceirizada ou não. As atribuições de um analista são gerenciar o uso dos veículos, a durabilidade de cada modelo, o cronograma de manutenção, tendo uma visão macro sobre o trabalho. Desta forma, é o profissional que direciona seus conhecimentos a análise dos acontecimentos logísticos.

O que faz um analista de frota?

A principal função de um analista de frotas está relacionada a tarefas operacionais e estratégicas, sendo essenciais para o processo de logística. Apesar de não ser sua competência tomar as decisões, as análises direcionam as decisões gerenciais. A profissão também engloba atividades práticas, mas todas originam-se em uma base analítica de dados.

Principais funções de um analista de frota

O trabalho do analista de frotas tem como objetivo ajudar o gestor de frota, auxiliando no gerenciamento e na otimização de processos relacionados à logística. Conheça mais sobre as principais atribuições de um analista de frota:

1. Controle de gastos

A profissão está muito relacionada à análise das informações e uma delas é o controle de gastos. O analista de frota monitora todos os aspectos relacionados aos veículos, como cronograma de manutenção preventiva e otimização das rotas. Ele pode ajudar a ter um maior controle e, consequentemente, reduzir gastos onde achar necessário.

2. Produção de relatórios e análise dos dados

A partir da produção de relatórios e da análise de dados, o analista consegue acompanhar os custos, quais pontos podem ser melhorados e identificar negligências na conduta dos colaboradores. Também é possível encontrar pontos de vulnerabilidade na operação, como o desgaste de determinado modelo, o aumento de infrações, o gasto em certas rotas, entre outros. Dessa forma, o analista consegue apoiar o gestor observando os aspectos mais importantes da frota.

3. Controle de rotas

O controle das rotas é uma das atribuições mais importantes do analista de frotas. O analista deve roteirizar o percurso, desde a garagem até o destino final. No momento do planejamento são considerados os horários, paradas obrigatórias para o motorista, períodos de vias congestionadas, sempre buscando a otimização das rotas e a redução de gastos. O controle de rotas também proporciona maior segurança para o veículo, condutor e carga, uma vez que prioriza rotas mais seguras. Ferramentas para construção de rotogramas auxiliam diretamente nessa função.

4. Otimização dos processos e diminuição de erros operacionais

O analista de frota é o profissional responsável por ter todas as informações sobre a frota, como a localização dos veículos, quais rotas estão sendo feitas, como é a direção do motorista e demais aspectos que envolvem o processo logístico. Desta forma, é preciso trabalhar com muitas informações diariamente. Soluções tecnológicas como a Telemetria Avançada da Trimble são utilizadas para facilitar a obtenção dessas informações, a fim de ter uma frota mais otimizada e com menor quantidade de erros operacionais.

5. Tratativa e acompanhamento de eventos de risco

O analista precisa atuar com a tratativa e acompanhamento das ocorrências identificadas, a fim de evitar novos possíveis riscos para a frota. Ele pode ajudar à gestão a adotar um conjunto de práticas como forma de minimizar as ocorrências da frota e danos que possam afetar as operações logísticas. Dentre as ocorrências possíveis, estão: Multas veiculares, incidentes, excessos de velocidade, dentre outras. Essa atribuição é importante para direcionar como as ações serão conduzidas, com o intuito de evitar possíveis problemas.

Vantagens em ter um analista de frotas

Como mencionado anteriormente, o analista de frotas auxilia o gestor na otimização da frota. Desta forma, a produtividade é a vantagem mais imediata, visto que o analista proporciona organização para a operação, controlando informações como a disponibilidade de veículos. A disponibilidade está diretamente ligada ao agendamento das manutenções preventivas.

Ao planejar os processos logísticos, o analista auxilia na tomada de decisão da empresa e na economia a médio e longo prazo. Isso porque seu trabalho ajuda na redução de gastos, seja com a manutenção, indenizações ou outros custos causados por negligências ligadas ao trânsito e aos veículos da frota. Outra vantagem é a capacitação dos colaboradores, já que o analista pode organizar reuniões, workshops e palestras sobre temas de relevância para a empresa e para a formação dos colaboradores.

Competências que um analista de frota precisa ter

Agora você vai conhecer quais competências um analista de frota precisa ter para ser um bom profissional. Confira:

  • Organização 
  • Visão analítica
  • Senso de inovação
  • Boa comunicação
  • Capacidade de controle de dados e tomada de decisões ​
  • Capacidade de liderança 
  • Capacidade de planejamento

Diferenciais de um bom profissional

Além das qualidades e capacidades mencionadas acima, há dois aspectos que são diferenciais para um analista de frota. Para se destacar na profissão, é preciso apresentar capacidade de motivar e desenvolver a equipe para aumentar a sua produtividade. O desenvolvimento da equipe é fundamental para buscar melhores resultados e ter profissionais mais capacitados para atuarem em seus cargos.

O segundo aspecto está relacionado ao conhecimento de mercado, já que um analista precisa conhecer as mudanças e atualizações que acontecem no setor. Desta forma, ele conhecerá as tendências, modificações de leis e demais situações relacionadas ao trabalho e possíveis impactos nos resultados.

Como a tecnologia auxilia o trabalho do analista de frota? 

A tecnologia auxilia o processo logístico e pode ajudar a diminuir os erros operacionais, uma vez que determinados serviços passam a ser automatizados. Com o apoio de softwares, o analista consegue acessar mais informações para facilitar o planejamento  e estratégias adotadas. Desta forma, há redução de custos operacionais e mais produtividade para o tratamento dos dados e das informações.

Por exemplo, com o uso da telemetria, o analista consegue acessar dados sobre o comportamento do motorista em tempo real, identificando infrações e ações que possam aumentar os riscos de acidentes. A partir dessas informações, o analista pode planejar estratégias que tragam mais segurança para a frota, além de aumentar a lucratividade. Conheça mais sobre essa tecnologia:

E-book gratuito: Tudo sobre telemetria e gestão de frotas

Descubra como a telemetria pode otimizar a gestão da sua frota! Baixe esse e-book gratuito aqui:

    Tamanho da frota
    Segmento de atuação
    Deseja conhecer nossas soluções para frotas?

    Por fim, conclui-se que o analista de frotas é um profissional que atua com a análise de muitos dados e informações relacionadas à operação dos veículos, priorizando melhorias e otimizações em todo o fluxo de trabalho. Desta forma, seu trabalho é imprescindível para uma gestão eficiente. A combinação do trabalho eficiente de um analista junto a tecnologia correta para coleta de dados é um dos pilares para uma boa gestão de frotas.

    Saiba mais sobre gestão de frotas aqui!

    Autor

    Marina Pessanha

    Marina Pessanha

    Analista de Marketing da Trimble Transportation Latam

    Uma mão digitando em um laptop Uma mão digitando em um laptop Uma mão digitando em um laptop

    Assine nossa newsletter

    Fique sempre por dentro das novidades nas inovações da gestão do transporte.

      Deixe seu comentário