Psicologia do trânsito na prevenção de acidentes

| Por: Juliana Gallassi

A psicologia do trânsito é uma área do conhecimento que estuda o comportamento humano no contexto da mobilidade urbana, investigando fatores internos e externos, conscientes e inconscientes que promovem, influenciam e transformam a realidade do trânsito.

Vertentes da psicologia do trânsito

Sua esfera de estudo é constituída de três sistemas principais: a via, o veículo e o homem, sendo o último, o mais complexo, pois tem a maior probabilidade, a partir do seu comportamento, de alterar a organização do sistema desorganizar todo o restante do sistema

A psicologia do trânsito atua em duas vertentes: 

Um dos maiores focos da psicologia do trânsito encontra-se no trabalho voltado à problemática de acidentes, tendo como ponto central o comportamento dos motoristas e como estes influenciam na ocorrência dos acidentes de trânsito.

E-book: Riscos comportamentais que causam acidentes

90% dos acidentes de trânsito são causados por falha humana. Aprenda quais são os principais riscos e como evitá-los.

Aspectos comportamentais

Dentro do comportamento no trânsito, existem alguns que possuem grande relevância nos estudos aplicados à direção, destacamos:

Verificação do equilíbrio entre aspectos da personalidade: principalmente os relacionados ao controle emocional, ansiedade, impulsividade e agressividade, levando em consideração que estes influenciam diretamente no comportamento dos motoristas.

Nesses casos, mesmo estando preparado para enfrentar as condições adversas que possam interferir na estrada, o motorista não apenas precisa   ver o perigo, como também é necessário tomar uma  uma decisão rápida

Alguns fatores influenciam no tempo de reação, um exemplo é a velocidade com que um motorista dirige e seu estado físico – alerta, cansado, sonolento, entre outros.

Psicologia do trânsito na gestão de frotas

No Brasil, os profissionais da psicologia do trânsito trabalham, em geral, na avaliação psicológica de motoristas. Porém, eles também realizam pesquisas e sugerem medidas que auxiliem na melhoria do trânsito, tal qual desenvolvem soluções com foco no comportamento dos motoristas, como cursos de educação, por exemplo. 

Então, ser avaliado psicologicamente e aprovado para seguir como motorista já configura o indivíduo como um agente ativo no trânsito. Dessa forma, o comportamento do caminhoneiro que trabalha em uma frota influencia não somente o trânsito no qual ele está inserido, como o planejamento feito pela empresa para qual trabalha.

Assim, ao identificar uma sucessão de comportamentos inadequados no trânsito por parte de motoristas da frota, a psicologia do trânsito pode ser uma solução estratégica para a educação e conscientização dos motoristas a partir de sugestões e aplicação de atividades educacionais que melhor desenvolvam psicologicamente os motoristas.

Tags

Autor

Juliana Gallassi

Juliana Gallassi

Uma mão digitando em um laptop Uma mão digitando em um laptop Uma mão digitando em um laptop

Assine nossa newsletter

Fique sempre por dentro das novidades nas inovações da gestão do transporte.

    Deixe seu comentário

    Comentários