Dirigir embriagado é crime: saiba o que acontece se for pego

| Por: redacao.massi

A segurança no trânsito é um assunto de extrema importância e responsabilidade. Apesar de inúmeras campanhas de conscientização e leis rigorosas, ainda há pessoas que optam por colocar em risco suas vidas e a de terceiros ao dirigir sob a influência de álcool. Conduzir um veículo nessas condições não só coloca em perigo a vida do próprio motorista, mas também de pedestres e outros condutores que compartilham as vias.

Conscientes do perigo representado pela combinação de álcool e direção, os órgãos responsáveis pelo trânsito têm adotado medidas cada vez mais severas para coibir essa prática. No Brasil, dirigir embriagado é considerado crime e está previsto no Código de Trânsito Brasileiro (CTB), com penalidades e consequências legais bem definidas.

Ao longo do artigo, vamos abordar as penalidades previstas na legislação brasileira para quem é pego dirigindo embriagado, além de discutir os impactos que essa conduta pode acarretar em diversos aspectos da vida do infrator. Afinal, é essencial estar informado e ciente das consequências para que seja possível tomar decisões conscientes e responsáveis quando se trata da segurança no trânsito.

Continue a leitura e lembre-se: a melhor escolha sempre será deixar a direção de lado caso tenha consumido bebidas alcoólicas, contribuindo assim para a construção de um trânsito mais seguro e responsável.

Entenda como funciona a Lei Seca

A Lei Seca é uma das legislações mais importantes quando se trata de coibir a combinação perigosa entre álcool e direção. No Brasil, ela está em vigor desde 2008 e trouxe mudanças significativas no combate à embriaguez ao volante. O principal objetivo dessa lei é preservar vidas, reduzir os índices de acidentes e promover um trânsito mais seguro.

De acordo com a Lei Seca, é proibido dirigir sob a influência de álcool ou de qualquer outra substância psicoativa que possa comprometer a capacidade de condução do veículo. Para identificar essa infração, são realizadas fiscalizações de trânsito por meio de abordagens aleatórias, blitz e testes de alcoolemia, popularmente conhecidos como "bafômetro".

Dirigir embriagado. A segurança no trânsito é um assunto de extrema importância e responsabilidade.

Ao ser pego dirigindo embriagado, o motorista está sujeito a diversas penalidades, que vão desde multas até medidas mais severas. Inicialmente, é importante destacar que a infração é considerada gravíssima, com aplicação de multa no valor de R$2.934,70. Além disso, o condutor terá sua carteira de habilitação suspensa por um período de 12 meses e o veículo será retido até a apresentação de um condutor habilitado.

Em casos mais graves, nos quais o teste de alcoolemia aponta um índice superior a 0,34 miligramas de álcool por litro de ar alveolar expirado, o motorista pode ser enquadrado criminalmente. Nesse caso, além das penalidades administrativas, ele poderá ser preso em flagrante por um período que varia de seis meses a três anos, dependendo das circunstâncias.

É importante ressaltar que, independentemente do resultado do teste de alcoolemia, se houver sinais evidentes de embriaguez, como odor de álcool no hálito, dificuldade de equilíbrio e fala alterada, o motorista também poderá ser autuado, mesmo que se recuse a fazer o teste. Portanto, é fundamental que o agente de trânsito tenha elementos suficientes para caracterizar a infração.

No geral, a Lei Seca tem sido uma importante ferramenta no combate à embriaguez ao volante, mas é fundamental que todos os envolvidos no trânsito estejam comprometidos em fazer a sua parte. Motoristas conscientes devem evitar dirigir após o consumo de bebidas alcoólicas, buscando alternativas como a carona solidária, o uso de transporte público ou aplicativos de mobilidade. 

Já as empresas que gerenciam frotas devem promover ações de conscientização, investir em treinamentos e estabelecer políticas internas que reforcem a proibição do consumo de álcool durante a jornada de trabalho.

Perigos de dirigir embriagado

Dirigir bêbado é uma conduta extremamente perigosa, que coloca em risco a vida do próprio condutor, dos passageiros e de todos os outros usuários das vias. Os efeitos do álcool no organismo comprometem significativamente a capacidade de condução de um veículo, afetando os reflexos, a coordenação motora, a percepção de distâncias e a tomada de decisões.

Um dos principais perigos é a diminuição dos reflexos. O álcool atua como um depressor do sistema nervoso central, afetando a velocidade de resposta a estímulos externos. Isso significa que o motorista embriagado terá uma reação mais lenta a situações de perigo, como a necessidade de desviar de um obstáculo repentino ou frear bruscamente para evitar uma colisão. 

Além disso, a coordenação motora é seriamente comprometida. O condutor terá dificuldade em manter o controle do veículo, realizando movimentos imprecisos e bruscos. Isso pode resultar em manobras perigosas, como ultrapassagens arriscadas, mudanças de faixa bruscas e perda do controle do veículo em curvas, aumentando consideravelmente o risco de acidentes.

No geral, a embriaguez afeta a capacidade de avaliar corretamente situações de risco, como a decisão de parar em um semáforo, de ceder a passagem em uma rotatória ou de manter uma distância segura do veículo da frente, e essa falta de discernimento pode levar a escolhas irresponsáveis no trânsito, aumentando a probabilidade de acidentes graves.

É válido ressaltar que os perigos de dirigir embriagado não se limitam apenas aos momentos em que o motorista está visivelmente alterado. Mesmo em níveis de álcool no sangue considerados baixos, já há prejuízos significativos na capacidade de dirigir com segurança. 

Por isso, é essencial que os condutores adotem uma postura de responsabilidade e jamais se coloque atrás do volante após consumir bebidas alcoólicas.

O que acontece se dirigir embriagado e for pego?

Quando um condutor é pego dirigindo embriagado, uma das primeiras consequências é a aplicação de uma multa. Essa infração é considerada gravíssima e, de acordo com o Código de Trânsito Brasileiro, resulta em uma multa no valor de R$2.934,70. Além disso, a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) é suspensa por um período de 12 meses.

Além das penalidades administrativas, as consequências também podem ser criminais. Se o teste de alcoolemia acusar um teor de álcool no sangue superior a 0,34 miligramas por litro de ar alveolar expirado, o motorista poderá ser enquadrado no crime de embriaguez ao volante. 

Assim, além das sanções administrativas, ele poderá ser preso em flagrante, com uma pena que pode variar de seis meses a três anos, dependendo das circunstâncias.

É fundamental compreender que dirigir após a ingestão de álcool é uma escolha irresponsável que pode ter consequências devastadoras. Mais do que colocar em risco a própria vida, o condutor coloca em perigo a vida de outras pessoas que compartilham as vias. 

Para evitar problemas legais e, principalmente, preservar vidas, a melhor opção sempre será não dirigir após consumir bebidas alcoólicas. A conscientização e o respeito às leis de trânsito são fundamentais para garantir a segurança de todos nas estradas.

Qual o valor da multa por dirigir embriagado?

De acordo com o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), o valor da multa por dirigir embriagado é de R$2.934,70. Essa quantia representa uma das multas mais altas previstas no CTB, refletindo a seriedade e o perigo que a combinação entre álcool e direção representa para a segurança no trânsito. 

Vale ressaltar que o valor da multa é fixo e não pode ser reduzido, sendo uma penalidade obrigatória para quem for pego conduzindo um veículo sob influência de álcool.

Além da multa em si, dirigir alcoolizado também implica na suspensão do direito de dirigir. O condutor terá sua Carteira Nacional de Habilitação (CNH) suspensa pelo período de 12 meses e, durante esse tempo, ele não poderá conduzir nenhum tipo de veículo, sendo necessário cumprir a determinação do órgão de trânsito responsável pela suspensão.

A gestão de frotas desempenha um papel importante na prevenção desse tipo de comportamento. As empresas devem estabelecer políticas claras e rigorosas quanto à proibição do consumo de álcool por parte de seus motoristas durante a jornada de trabalho. 

Logo, é essencial promover a conscientização e oferecer treinamentos sobre os riscos da embriaguez ao volante, buscando sempre garantir a segurança de todos os envolvidos.

Outros acidentes causados por má conduta do motorista

Além da embriaguez ao volante, existem outras formas de má conduta por parte dos motoristas que podem resultar em acidentes graves. Listamos as principais abaixo:

- Excesso de velocidade

Quando um condutor ultrapassa os limites estabelecidos pela via, ele compromete sua capacidade de reação diante de imprevistos e aumenta consideravelmente o risco de acidentes. Em casos de colisões a altas velocidades, as chances de lesões graves e até mesmo fatais são significativamente maiores;

- Falta de respeito às leis de trânsito

Desrespeitar sinalizações, avançar semáforos vermelhos ou não dar preferência a pedestres podem causar graves problemas. Essas atitudes colocam em risco não só a vida do motorista, mas também de outras pessoas que compartilham as vias;

- Uso de dispositivos eletrônicos

O uso de celulares, por exemplo, distrai a atenção do condutor, aumentando o tempo de reação e diminuindo a percepção do ambiente ao redor. Essa distração pode ser fatal em situações de trânsito intenso ou emergências repentinas.

-Ultrapassagens arriscadas

Realizar ultrapassagens em locais proibidos ou sem uma análise adequada das condições de segurança pode resultar em colisões frontais ou em situações em que outros veículos são obrigados a frear bruscamente para evitar um acidente.

Todas essas formas de má conduta no trânsito podem resultar em acidentes graves, lesões e perdas de vidas humanas. Além disso, os condutores que se envolvem em acidentes causados por essas atitudes irresponsáveis podem enfrentar consequências legais, como multas, suspensão da CNH e até mesmo processos criminais, dependendo da gravidade da situação.

Entre as  medidas que um gestor de frotas pode adotar para evitar a ocorrência desses eventos estão os programas de treinamento para motoristas, com foco na conscientização sobre os riscos dessas condutas irresponsáveis e na importância do cumprimento das leis de trânsito. Além disso, a manutenção preventiva dos veículos e a fiscalização contínua do comportamento dos motoristas são ações fundamentais para garantir a segurança no trânsito.

Para saber mais sobre boas práticas de comportamento para motoristas, baixe o e-book abaixo de forma gratuita disponibilizado pela Trimble.

E-book: Por que monitorar o comportamento do motorista?

Entenda como a tecnologia age no monitoramento de comportamentos, reduzindo de custos e prevenindo acidentes.

    Cargo na empresa
    Tamanho da frota
    Segmento de atuação

    Dirigir embriagado: como evitar que o motorista pratique essa ação?

    Evitar que os motoristas dirijam embriagados é uma preocupação constante na gestão de frotas. É fundamental adotar medidas preventivas que contribuam para a segurança  no trânsito e evitem situações de risco. A seguir, listamos algumas estratégias eficazes para auxiliar nesse desafio:

    - Políticas claras e rigorosas

    É essencial estabelecer políticas internas que proíbam o consumo de álcool por parte dos motoristas durante a jornada de trabalho. Tais normas devem ser amplamente comunicadas e compreendidas pelos colaboradores, deixando claro que a embriaguez ao volante não será tolerada;

    - Educação e conscientização

    Promover programas de educação e conscientização sobre os riscos da combinação entre álcool e direção é uma estratégia eficaz. Realizar treinamentos regulares, palestras e campanhas internas que abordem o tema pode ajudar a sensibilizar os motoristas e reforçar a importância de não dirigir sob efeito de álcool.

    - Testes de alcoolemia

    Implementar a realização de testes de alcoolemia de forma regular e aleatória é uma medida preventiva importante. Os motoristas devem estar cientes de que podem ser submetidos a esses testes a qualquer momento, o que contribui para desencorajar o consumo de álcool antes de assumir a direção.

    - Monitoramento e tecnologia

    Utilizar tecnologias de monitoramento, como videotelemetria, ajuda diretamente na identificação de comportamentos suspeitos, como desvios de rota, excesso de velocidade ou frenagens bruscas, e a ferramenta ainda permite um controle mais efetivo sobre as ações dos motoristas, possibilitando a adoção de medidas preventivas em tempo real.

     Solução de videomonitoramento

    Nas operações de frotas, a segurança dos motoristas e a prevenção de comportamentos de risco são aspectos de extrema importância, e a solução de videomonitoramento da Trimble é ideal para contribuir com esse cuidado.

    A ferramenta permite o monitoramento em tempo real das atividades dos motoristas, garantindo maior controle sobre suas ações e comportamentos, por meio de câmeras de alta definição instaladas nos veículos da frota, capturando imagens tanto da estrada quanto do interior do veículo. Assim, é possível obter uma visão completa do que está acontecendo durante as viagens, identificando possíveis situações de risco, como o consumo de álcool por parte do motorista.

    O sistema conta também com recursos avançados de análise e processamento de dados, permitindo identificar comportamentos perigosos, como frenagens bruscas, ultrapassagens arriscadas e desatenção ao volante. 

    Tais informações podem ser utilizadas para orientar treinamentos e ações corretivas, visando aprimorar o desempenho dos motoristas e evitar práticas inadequadas, como dirigir embriagado e, além disso, as imagens capturadas podem servir como evidências para esclarecer responsabilidades e tomar medidas necessárias para prevenir que tais situações ocorram novamente.

    Baixe o e-book abaixo de forma gratuita e saiba mais sobre as vantagens dessa solução para a gestão de frotas.

    Conclusão

    Dirigir embriagado é uma conduta irresponsável e perigosa, que coloca em risco a vida do condutor, dos passageiros e de outros usuários das vias. Além das graves consequências físicas e emocionais que podem resultar de acidentes causados pela embriaguez ao volante, os motoristas também enfrentam severas penalidades legais, como multas, suspensão do direito de dirigir e até mesmo processos criminais. 

    Portanto, é essencial promover uma cultura de segurança no trânsito e adotar medidas preventivas, como políticas internas claras, educação e conscientização, testes de alcoolemia e, principalmente, contar com o auxílio de soluções tecnológicas que contribuem com a melhoria de conduta dos motoristas, como o sistema de videomonitoramento da Trimble.

    Para conhecer mais sobre essa solução e reduzir os índices de acidentes da sua frota, agende uma apresentação com nosso time comercial!

    Autor

    redacao.massi

    redacao.massi

    Uma mão digitando em um laptop Uma mão digitando em um laptop Uma mão digitando em um laptop

    Assine nossa newsletter

    Fique sempre por dentro das novidades nas inovações da gestão do transporte.

      Deixe seu comentário